quinta-feira, 4 de agosto de 2011

SINCERIDADE É VITÓRIA

      SINCERIDADE É VITÓRIA


      Por Rasalila Devi Dasi




      Ser sincero e ser cândido não é a mesma coisa. Ser cândido significa uma simplicidade baseada, em grande parte, na ignorância das coisas. Uma criança é cândida porque é simples e não esconde nada. É incapaz disso e não tem vontade de enganar ninguém. Mas sinceridade é diferente.

      Sinceridade  é a coisa mais difícil de se possuir, mas também a mais positiva. Se você for sincero pode estar certo da vitória. Mas deve ser sinceridade verdadeira. Sinceridade significa que todos os elementos de seu ser, todos seus movimentos, todos, sem exceção, do mais espiritual ao mais físico, do mais interior ao mais exterior, do mais elevado ao mais baixo, todas as partes separadas e em conjunto, igualmente, estão voltadas para o Divino. Elas não pedem nada mais que o Divino, vivem para Ele e por Ele.

        E isso não é coisa fácil. Ser sincero numa parte, ser sincero no todo, ser sincero em momentos, é bastante fácil, todos podem fazê-lo ou chegar a esse ponto. Está dentro da capacidade de qualquer ser humano de boa vontade normal, ser sincero em seus movimentos psíquicos, mesmo se estes forem raros. Mas ser sincero em cada célula do corpo físico é uma façanha ainda mais rara e mais árdua. Dirigir as células do corpo para essa única direção, a tal ponto que sintam que não podem viver senão para o Deus, nele e, através dele, é sinceridade verdadeira e é o que você deve ter.

    Primeiro, você deve observar que não há um dia em sua vida, nem uma hora, nem mesmo um minuto em que não tenha de retificar ou intensificar sua sinceridade. Não digo que você engane a Deus. Ninguém pode enganá-Lo, nem mesmo o maior dos demônios. Mesmo quando você tiver entendido isso, sempre haverá momentos em sua vida diária em que tentará enganar-se a si mesmo. Quase automaticamente, você apresenta razões para qualquer coisa que faça. Não falo de coisas mais vulgares, como quando você briga com uma pessoa, por exemplo, e na sua raiva, lança toda a culpa nela. Conheci uma criança que dava um chute na porta porque pensava que ela fosse culpada. É sempre a outra parte que está errada...Nunca nós... Mas mesmo que você tenha passado além deste estágio infantil, quando já é de se esperar que tenha um pouco mais de bom senso, você faz as maiores tolices e tenta justificá-las de todo modo. O teste real de sinceridade, do mínimo de sinceridade verdadeira, está na sua reação a uma dada situação : se você pode assumir automaticamente a atitude certa e fazer exatamente a coisa a ser feita. Por exemplo, quando alguém lhe fala zangado, você se contagia e fica bravo também, ou é capaz de manter uma calma e clareza inabalável, ver o ponto de vista do outro e comportar-se como deve ?

    Bem, isto é exatamente o começo da sinceridade, seus rudimentos. E se você se examinar com olhos mais perspicazes, descobrirá milhares de insinceridades mais sutis e no entanto, palpáveis. Tente ser sincero e então você saberá do que falo e como isso é difícil. As ocasiões em que se apanha sendo insincero se multiplicarão. Você diz que pertence ao Divino, somente a Deus e a mais nada e a mais ninguém : " é o Divino que me move e faz tudo em mim ". E assim você faz tudo o que lhe agrada e usa o Divino como capa para encobrir sua complacência a desejos e paixões. Isto também é insinceridade vulgar e não deveria ser difícil detectá-la, embora enganar-se a si próprio seja uma ilusão mais comum do que enganar aos outros. A  mente  se  apodera  de  uma  idéia  e  diz  : " Tudo isto é de Deus",  " Eu sou Deus também ", - e você acredita ou finge acreditar que O realizou e " não deve estar fazendo nada de errado " . Há entretanto movimentos mais sutis de insinceridade ou falta de sinceridade, mesmo quando você não vestiu o manto divino como disfarce para acobertar seus lapsos. Mesmo quando você pensa que é sincero, pode haver movimentos que não sejam muito corretos, atrás dos quais, se você sondar persistentemente, encontrará escondido algo indesejável. Observe os pequenos movimentos, os pensamentos, as sensações e impulsos que se amontoam à margem de sua vida diária. Quantos são unicamente voltados para  Deus, quantos são inflamados por uma aspiração em direção a algo mais elevado ? Você deveria se considerar feliz se encontrasse pelo menos alguns dessa espécie.

    Quando digo que se você for sincero estará seguro da vitória, quero dizer aquela espécie de sinceridade total e não dividida, a flama pura que se queima em oferenda, a intensa alegria de existir para o Divino somente, onde nada mais existe, nada que tenha qualquer significado ou razão para a existência, a não ser Deus. Nada tem valor ou interesse se não for este chamado, esta aspiração, esta abertura à Verdade Suprema, a tudo isto que chamamos de Divino. Você deve servir à única razão pela qual o Universo existe : remova-a e tudo o mais desaparece.






Sementes Espaço Ponto de Luz Rosana Rodrigues

2 comentários:

  1. Sempe oportuna!
    Obrigada amiga, por esse texto tão ersclarecedor.
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir