quarta-feira, 17 de maio de 2017

MEU RESUMO DO BHAGAVAD GITA PURO - VEDAS -CAP 1



Prezados amigos e seguidores, 

Espero que todos estejam bem e em paz.



Em pleno Sade Sati pessoal senti necessidade de oferecer algo espiritual de uma maneira mais direta, pura, sem comentários. Em oração e meditação, em difícil momento passando por um trânsito forte, o faço, primeiramente, em meu próprio benefício para me reconectar com um conhecimento transcendental eterno - Vedas - passado por sucessão discipular há mais de 5 mil anos atrás, assim como o Velho Testamento. Um conhecimento que transformou minha vida desde 1992 trazendo-me esclarecimentos que nenhuma outra Escritura Sagrada ou informações até então haviam me convencido ou sanado dúvidas.



Após o Resumo do Gita eu pretendo fazer neste Blog Oficial um Resumo de todos os 30 volumes do Srimad Bhaghavatam, relendo-o e transmitindo-o a vocês.



Afasto-me por uns tempos de facebook, whatsApps etc., para focar mais em meu Blog Oficial.



Espero que meus singelos textos, estudos, compartilhamentos de postagens de amigos, sejam úteis e tragam mais conhecimento, luz e espiritualidade a todos. 



Sempre Toda Paz. 
Namastê. Rosana Aparecida Rodrigues


*********************************************

INÍCIO DOS ESTUDOS DO RESUMO DOS VEDAS


DIRETO AO CAPÍTULO UM 


Obs. 1: Sem Introdução ou Comentários de A.C.Bhaktivedanta Swami Prabhubada. Apenas Tradução em português, sem texto original em Sânscrito, sem transliteração latina, sem vocabulário e comentários autorizados de Swami Prabhupaba.


Obs. 2: O primeiro capítulo pode não ser à primeira vista bem compreendido por iniciantes, mas a partir do Capítulo II o estudioso atento e respeitoso poderá entender melhor. Sugerimos resiliência, coragem e força para ler até o final.


Obs. 3: A Suprema Personalidade de Deus, o único Deus de todos (possuidor de muitos nomes em muitas religiões, mas único para todos), aparece (Avatar) em uma batalha há mais de 5 mil anos atrás para dar orientações a um fiel discípulo que estava em dúvida sobre se deveria lutar ou não. Deus aparece e aproveita a oportunidade para "falar" todo o conhecimento transcendental e revelar informações à Humanidade.

Obs. 4: Os Vedas fazem parte da cultura oriental, o Hinduísmo, mas seguimos uma linha pura de estudo chamada Consciência de Krshna, vaishnava, sendo necessário explicar que essa "Religião" (consciência) é monoteísta e não politeísta. Assim como Cristianismo, Judaísmo e Espiritismo, acredita-se em um Deus apenas, Único e Pessoal. É uma religião personalista e nao impersonalista, portanto. É  pura falta de conhecimento a equivocada informação de que se acreditam em vários deuses. Isso é errôneo. Os Vedas explicam que os deuses apenas são manifestações do próprio e único Deus, a Suprema Personalidade de Deus, Krishna, assim como todas as outras religiões acreditam em várias manifestações de Deus, como por exemplo, o Pai, Filho e Espírito Santo, Santos Sábios ou o próprio Avatar Jesus Cristo, filho de Deus, reconhecido pelos Vedas. 

Obs. 5: Em construção e digitação. Acompanhe constantemente...


Observando os Exércitos no Campo de Batalha de Kuruksetra
("Luta entre o bem e o mal")



TEXTOS 1 AO 46: 

Dhrtarastra disse: Ó Sanjaya, que fizeram os meus filhos e os filhos de Pandu, depois de se reunirem no lugar de peregrinação de Kuruksetra, estando desejosos de lutar?

Sanjaya disse: Ó rei, após observar o exército reunido pelo filhos de Pandu, o rei Duryodhana dirigiu-se até seu mestre e começou a falar as seguintes palavras:

Ó meu mestre, eis que aqui o grande exército dos filhos de Pandu, tão habilmente disposto por seu inteligente discípulo o filho de Drupada.

Aqui neste exército há muitos arqueiros heroicos igualados na luta a Bhima e Arjuna; há também grandes guerreiros como Yuyudhana, Virata e Drupada.

Há também grandes guerreiros heroicos e poderosos, como Dhrstaketu, Cekitana, Kasiraja, Purujit, Kuntibhoja e Saibya.

Estão aqui o poderoso Yudhamanyu, o muito poderoso Uttamauja, o filho de Subhadra e os filhos de Draupadi. Todos estes guerreiros são grandes lutadores de quadriga.

Ó melhor dos brahmanas, para sua informação, deixe-me falar-lhe dos capitães que estão especialmente qualificados para dirigir minha força militar.

Há personalidades como você, Bhisma, Karna, Krpa, Asvatthama, Vikarma e o filho de Somadatta chamado Bhurisrava, que saem sempre vitoriosos na batalha.

Há muitos outros herois que estão dispostos a sacrificar suas vidas pela minha causa. Todos eles estão bem equipados com diferentes tipos de armas, e são experientes na ciência militar.


Nossa força  é imensurável e estamos perfeitamente protegidos pelo avô Bhisma, enquanto que a força dos Pandavas, protegidos cuidadosamente por Bhima, é limitada.

Agora todos vocês devem dar pleno apoio ao avô Bhisma, ficando em seus respectivos pontos estratégicos na falange do exército.

Então Bhisma, o grande e valente patriarca da dinastia Kuru, o avô dos lutadores, soprou sua concha bem alto como o rugido de um leão, produzindo júbilo em Duryiodhana.

Depois disso as conchas, clarins, trombetas tambores e cornetas soaram subitamente e o som combinado foi tumultuoso.

Do outro lado, o Senhor Krsna e Arjuna, situados numa grande quadriga puxada por cavalos brancos, soaram suas conchas transcendentais.





Então o Senhor Krshna soprou Sua Concha, chamada Pancajanya; Arjuna soprou a sua, a Devadatta; e Bhima, o comedor voraz e executor de tarefas hercúleas, soprou sua terrífica concha chamada Paundram.

O Rei Yudhisthira, o filho de Kunti, soprou sua concha, a Anantavijaya, e Nakula e Sahadeva sopraram a sughosa e a Manipuspaka. O grande arqueiro rei de Kasi, o grande guerreiro Sikhandi, Dhrstadyumna, Viraja e o inconquistável Satyaki, Drupada, os filhos de Draupadi e os demais, ó Rei, tais como o filho de Subhadra, de braços poderosos, todos sopraram suas respectivas conchas.

O sopro destas diferentes conchas se tornou tumultuoso, e assim, vibrando tanto no céu como na terra, despedaçou os corações dos filhos de Dhrstarastra.

Ó Rei, nesse momento Arjuna, o filho de Pandu, que estava sentado em sua quadriga, sua bandeira marcada com Hanuman, apanhou seu arco e preparou-se para atirar suas flechas, olhando para os filhos de Dhrstarastra. Ó rei, Arjuna então falou estas palavras para Hrsikesa (Krsna):

Arjuna disse: Ó infalível, por favor coloque minha quadriga entre os dois exércitos ara que eu possa ver quem está aqui presente, quem está desejoso de lutar, e com quem tenho que me bater nesta grande tentativa de batalha.

Deixe-me ver os que vieram lutar aqui, desejando comprazer o malévolo filho de Dhrstarastra.

Sanjaya disse: Ó descendente de Bharata, tendo Arjuna se dirigido desse modo a Ele, o Senhor Krsna conduziu a excelente quadriga, colocando-a no meio dos exércitos de ambos os grupos.

Na presença de Bhisma, Drona e todos os outros comandantes do mundo, Hrsikesa, o Senhor, disse: Observe, Partha, todos os Kurus que estão reunidos aqui.

Ali Arjuna pôde ver, no meio dos exércitos de ambos os grupos, seus pais, avós, mestres, tios maternos, irmãos, filhos, netos, amigos e também seu sogro e bem-querentes - todos ali presentes.

Quando o filho de Kunti, Arjuna, viu todas estas diversas classes de amigos e parentes, ele ficou doinado pela compaixão e falou assim:

Arjuna disse: Meu querido Krsna, vendo meus amigos e parentes presentes diante de mim com tal ânimo para lutar, sinto os membros de meu corpo tremer e minha boca secar.


Todo o meu corpo está tremento e meu cabelo está arrepiado. Meu arco Gandiva está escorregando de minha mão, e minha pele está ardendo.

Sinto-me incapaz de permanecer aqui por mais tempo. Estou me esquecendo de mim e minha mente está girando. Prevejo só o mal, ó matador do demônio Kesi.

Não vejo como pode resultar algo de bom se mato meus próprios parentes nesta batalha, nem posso, meu querido Krsna, desejar qualquer vitória, reino ou felicidade subsequentes.

Ó Govinda, de que nos valem reinos felicidade ou até a própria vida quando todos aqueles pelos quais podemos desejar estão agora dispostos neste campo de batalha? Ó Madhusudana, quando mestres, pais, filhos, avós, tios maternos, sogros, netos, cunhados e todos os parentes estão dispostos a dar suas vidas e propriedades e estão diante de mim, então por que desejaria eu matá-los, ainda que eu sobreviva? Ó mantenedor de todas as criaturas, não estou disposto a lutar com eles nem mesmo em troca dos três mundos, muito menos por esta terra.

O pecado cairá sobre nós se matarmos tais agressores. Por isso não é correto que nós matemos os filhos de Dhrtarastra e nossos amigos. O que ganharíamos ó Krshna, esposo da deusa da fortuna, e como poderíamos ser felizes matando nossos próprios parentes?

Ó Janardana, embora estes homens tomados pela cobiça não vejam falta alguma em matar sua própria família ou em lutar com amigos por que nós, que temos cohecimento do pecado haveríamos de nos ocupar nesses atos?

Com a destruição da dinastia destrói-se a eterna tradição familiar, e assim o resto da família se envolve em práticas irreligiosas.

Quando a irreligião predomina na família, ó Krsna, as mulheres (e homens) da família se corrompem, e da degradação das mulheres, ó descendente de Vrsni, vem progênie não desejada. (grifo nosso).

Quando há aumento de população não desejada, cria-se uma situação infernal tanto para a família como para aqueles que destroem a tradição familiar. Em tais famílias corruptas, não há oferecimento de oblações de alimento e água para os ancestrais.

Devido aos atos malévolos dos destruidores das tradições familiares, todos os tipos de projetos de comunidades e atividades para o bem-estar da família são devastados.

Ó Krsna, mantenedor das pessoas, eu ouvi através da sucessão discipular que aqueles que destroem as tradições familiares residem sempre no inferno.

Ai! como é estranho que estejamos nos preparando para cometer atos extremamente pecaminosos impulsionados pelo desejo de gozar a felicidade régia.

Eu consideraria melhor que os filhos de Dhrtarastra me matassem desarmado e não opondo resistência, do que lutar com eles.

Sanjaya disse: Arjuna, tendo assim falado no campo de batalha, pôs de lado seu arco e flechas e sentou-se na quadriga, com a mente tomada pela angústia.

*****************************************************
Assim termina o Capítulo Primeiro, sem os "Significados" que são os comentários escritos pelo Swami Prabhapada, o responsável por trazer todo o Conhecimento Oriental dos Vedas para o Ocidente, falecido em 1977.

Na sequência, no Capítulo 2, praticamente  Deus faz um Resumo do Gita e começa a conversar e responder a Arjuna durante a batalha, aproveitando para falar todo o conhecimento para a Humanidade, que foi passado por sucessão discipular por mais de 5 mil anos...................


Acompanhe os 18 Capítulos. Você terá as respostas que nunca encontrou em lugar algum. 

Sempre Toda Paz,
Namastê!
Rosana Rodrigues
Rasalila Devi Dasi


Rasalila DD em 1995 com Swami Radharan Sadhu


Swami Sadhu e Rasalila DD em 1996

Rasalila DD em 1996 com 29 anos

Rasalila DD em 2015


Rasalila DD em 2017


ESPAÇO PONTO DE LUZ ROSANA RODRIGUES

VIDA SIMPLES PENSAMENTO ELEVADO

rosana.om@terra.com.br
Fones: 19 3482-4028 / 11 2099-2099
Skype Consultas: rosana.om
www.espacopontodeluz.blogspot.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário